13 de fev de 2015

As nove virtudes que devemos esperar de um futuro pretendente

Muito se fala de uma mulher que se enquadre no "padrão" da mulher virtuosa de provérbios, é verdade. Nós precisamos imitar Nossa Senhora, que foi verdadeiramente exemplo de mulher virtuosa, para que possamos assumir em nós aquilo que foi sonhado por Deus e, assim, entender nossa verdadeira vocação.
Mas...o que esperar dos homens? Que virtudes e qualidade podemos esperar de um rapaz que possa ser aquilo que Deus também sonhou para ele? Como podemos encontrar um homem que seja segundo o coração de Deus?
Segue um texto que nos ajudará em todas essas perguntas.

Jesus Cristo é o Homem perfeito. Mas seu pai adotivo, José, foi quem O inseriu nos ofícios e dinâmicas deste mundo. Sem dúvida, Cristo nasceu com todo potencial, mas Deus Pai providenciou que José fosse o escolhido para ensinar ao Menino Jesus o que é ser homem. A masculinidade é aprendida, passada de geração em geração, nisso o menino ou o jovem tem de se esforçar, lutar para ser virtuoso. Por isso, São José é o modelo e fonte inspiradora das nove virtudes do homem que agrada o coração de Deus.
1- Casto
São José é conhecido na tradição da Igreja como modelo de castidade. Essa virtude dá ao homem o domínio de si mesmo e, portanto, liberdade interior. O homem de Deus precisa se exercitar na pureza para aprender a não ser arrastado por seus impulsos e assim conseguir optar por escolhas grandiosas.
2 – Honrado
Pela forma como se referem a Jesus, “o filho do carpinteiro” (cf. Mt 13, 55), nos dá a entender que a profissão de seu pai seria a referência de José na cidade onde moravam. Daí, podemos também supor que era fácil encontrá-los em Nazaré, sua oficina e sua casa, pois não precisavam se esquivar de ninguém. José tinha um bom nome, honrava seus prazos e sua palavra. O homem, segundo o coração de Deus, é honrado. Se ele promete, cumpre. Se errou, assume. Seu nome e sua reputação são como que a assinatura de sua pessoa como um todo, sua palavra é sempre de honestidade.
3 – Trabalhador
A mesma citação – “o filho do carpinteiro” (cf. Mt 13,55) – pode designar uma pessoa que é conhecida pelo seu ofício; trata-se, portanto, de um ótimo profissional. José era um trabalhador talentoso. O ser masculino tem uma inclinação natural a ter, no trabalho, também um sentido existencial. A impressão de que sua profissão é extensão dele mesmo.
Frequentemente, nas obras de artes – esculturas e pinturas –, vemos uma mulher posando (parada e expondo sua beleza) e os homens quase sempre em posição de movimento, fazendo algo. Não imaginamos um homem sem o trabalho!
4 – Lutador
Olhe o esforço de São José nos primeiros anos de vida do Menino Jesus para preservar a vida do Filho de Deus e Sua Mãe Maria. José renunciou a tudo o que já tinha para preservar os seus. O homem de Deus é um lutador. O Senhor convida Seus profetas, na Sagrada Escritura, e, constantemente, os coloca em luta contra um inimigo público, contra forças espirituais; Ele os ensina a batalhar por sua família, pelo seu povo e pela causa do Reino de Deus.
5 – Fiel
Sem dúvida, o fato de Maria, enquanto noiva de São José, ter ficado grávida, significou para ele uma grande prova. Papa Francisco disse a esse respeito: “Uma prova parecida com aquela do sacrifício de Abraão”, em ambos os casos, Deus “encontrou a fé que buscava e abriu um caminho de amor e felicidade” (22/12/2013). Um homem deve ser fiel, primeiramente a Deus, depois a sua mulher e família. As tentações passam, a fidelidade torna o homem forte de espírito. É fiel até o fim!
6 – Cavalheiro
Difícil não imaginar José como um cavalheiro. Mas alguns fatos podem nos fazer supor isso de forma um pouco mais concreta. Por exemplo, quando Jesus aos doze anos se perde no templo, é Maria quem indaga Jesus na frente dos homens magistrados, numa sociedade que não contava mulheres e crianças. Por que não foi José quem o fez? Talvez, porque a Mãe participasse de forma mais intensa do ministério de Cristo, e José entendeu isso.
O homem de Deus é cavalheiro, porque associa sua força e propensão a ter atitude com sensibilidade e percepção. É atento e gentil sempre, mesmo em meio à crise, e não só na hora que quer conquistar uma mulher.
7 – Magnânimo
“José, que era homem de bem, não querendo difamá-la, resolveu rejeitá-la secretamente” (Mt 1, 19). Este versículo demonstra a essência do coração do esposo de Maria. Ao saber da gravidez de sua noiva, José, num primeiro momento, deve ter imaginado que ela o tivesse traído, e a lei dos judeus condenava à morte a mulher que assim procedesse. Entretanto, mesmo sentindo-se injustiçado, a intenção desse homem de Deus revela sua disposição em garantir a vida da pessoa que ele amava e de uma criança inocente, e para ele isso significaria renunciar à sua carpintaria (seu sustento), sua casa (o “desposado” cuidava de construir e mobiliar o futuro lar), seu bom nome, sua reputação na cidade e, quem sabe, assim comprometer seu futuro.
Magnanimidade é bondade de coração, mas está além disso, é indulgência com nobreza. É compadecer-se do outro até em suas entranhas. É ser fiel, dar perdão, assumir a miséria do outro e fazer o bem mesmo quando se recebe um mal. É ter amor para oferecer mesmo quando a outra pessoa não o merece. O homem magnânimo é um gigante interiormente, ele doa de si não somente o que possui – seus talentos, dons materiais  e espirituais –, mas se entrega por  inteiro, até sua própria vida se preciso.
Imagine Maria, sabendo de seu esposo que ele teve a intenção de renunciar tudo em sua vida por causa de amor por ela! Imagine o olhar de amor que ela direcionou a ele! Que linda prova de amor José deu a Maria!
Faço aqui uma observação: Em minha juventude, conheci rapazes que tinham dinheiro, carro, eram “boa pinta” e bem populares entre as meninas. Contudo, das pessoas da minha geração, percebo que as mulheres que estão realmente felizes hoje são aquelas que se casaram com os homens que, desde aquela época, demonstravam ter um coração bom. Toda mulher merece ter um homem bom ao seu lado; no fundo, é o que elas esperam. O homem de coração magnânimo é um sinal e um reflexo de Deus nesta terra.
8 – Servo
São José escolheu ser servo, primeiramente de Deus. Por meio dos sonhos que tinha (e sonhos são coisas corriqueiras), ele entendeu que ali estavam as ordens do Senhor, e que era necessário cumpri-las. José não ficou questionando se aquilo era fruto de sua emoção causada pelos fatos que estavam acontecendo. Em tudo José foi obediente a Deus.
Também foi o servo de sua família. A Bíblia diz, “mas a cultura judia coloca o homem como chefe de sua família” (cf. Ef 5, 23). O pai terreno de Jesus fez de sua autoridade um serviço para os seus. Não usurpou dessa sua posição para obter direitos e favores dos membros de sua família. Pelo contrário, sacrificou-se, renunciou de si em favor de sua esposa e seu filho.
O homem segundo o coração de Deus entende que toda e qualquer autoridade nesse mundo deve ser vista como uma responsabilidade de amar e edificar aqueles que estão sob seus cuidados, seja família, subordinados no trabalho ou o povo do Senhor. Mas, acima de tudo, está a vontade de Deus.
9 – Justo
Todas as virtudes acima podem ser vistas como desdobramentos desta última. A Palavra define José como Justo (cf. Mt 1, 19). O significado bíblico dessa palavra se refere àquele que cumpre e pratica a Lei, tanto no termo jurídico – a pessoa que é idônea perante suas obrigações civis –, mas também a Lei do Senhor. José era irrepreensível quanto ao cumprimento dos preceitos e ritos religiosos, mas os fazia por um ardente amor ao Senhor, e não por prestígio entre os homens.
O homem precisa encantar-se com a Palavra e a Lei eterna do Altíssimo, pois, se ele dá a Deus o que é de Deus, não lhe será pesado dar a César o que pertence a César. Ser justo é ser santo. O homem que agrada a Deus busca constantemente a santidade.

Essa são as nove virtudes que, nós, mulheres, devemos nos atentar em relação ao nosso futuro pretendente. Observe como ele age nas situações, mais do que as palavras que saem da boca dele. São José é modelo de inspiração porque acima de tudo foi sempre o primeiro a tomar a peito a coragem quando algo acontecia, ou quando Deus lhe dava ordens! Ele agia.

São José, rogai por todos nós!





Texto adaptado: http://formacao.cancaonova.com/afetividade-e-sexualidade/afetividade-masculina/as-nove-virtudes-do-homem-que-agrada-o-coracao-de-deus/

6 de fev de 2015

Queridos amigos!

Bom, hoje eu estava aguardando um atendimento e, como de costume, levei um livro comigo. Ao ler algumas páginas eu me surpreendi com o tesouro que havia em minhas mãos e me decepcionei por ter demorado a lê-lo, estou falando sobre um livro do venerável Sheen. Em breve, irei fazer algumas postagens com trechos. Outra novidade que gostaria de contar é que estou estudando MOB, isso mesmo: método billings. Estarei a postar tudo o que for material de estudo, espero que aproveitem!
Por último e tão feliz, anuncio que é oficial o clube de leitura! Ando muito ocupada esses últimos dias, mas estou feliz demais.

Tudo para a maior glória de Deus!

2 de fev de 2015

Conhecendo e Combatendo os Escrúpulos

Doenças da vida espiritual: escrúpulos
O melhor, e podemos dizer que o único remédio é a obediência total e absoluta de um diretor sábio; tendo escurecido a luz de nossa consciência, temos quer mergulhar em uma outra luz...

 Escrúpulos causa na pessoa a grande dificuldade para fazer facilmente um julgamento moral prático. Há temores em cada momento, e por razões leve, ter ofendido a Deus. Embora os escrúpulos iniciais se iniciem apenas como uma dúvida na mente, pode gerar muita angústia. Escrúpulo: inquietação excessiva experimentado por algumas consciências pelo medo, por razões leve, ter ofendido a Deus.
 O processo de escrúpulos na mente ocorre quando há uma atitude moral legalista; onde só é observada a norma e não são tidas em conta em todo o assunto. Na mente dos padrões morais escrupulosos existi; Ele sabe e entende perfeitamente, mas não pode razoavelmente refletir sobre seu comportamento. Os escrupulosos se comportam como um juiz claro e reto, e muitas vezes muito equilibrado, a julgar ou aconselhar os outros; mas ele mesmo não é capaz de determinar se é ou não ele cometeu um pecado. Além disso, dada a teimosia que muitas vezes acompanha essas pessoas, não aceitam facilmente as recomendações do conselheiro espiritual. Dentro do problema dos sem escrúpulos grave, a maioria pertencente ao campo de casos de neurose, portanto, são acompanhados, por exemplo, de um colapso nervoso que impede a justa apreciação das coisas moral e tende a produzir obsessão. Esses casos exigem apoio profissional de um especialista.
 Queremos mencionar um fato importante: não confunda com a consciência escrúpulos delicados, ao contrário, como dia e noite. O escrupuloso, certamente temem ou não a falta, ele quer ser perfeito; difere de ter uma consciência delicada que querem evitar até mesmo a menor falta de amor a Deus. Ele tem um receio fundado, porque reconhece suas fraquezas, mas não um medo inquieto, por confiar na misericórdia de Deus e também aceita docilmente as diretrizes de seu conselheiro espiritual. Algumas dicas para orientar essas pessoas:
 1) Ganhar, confiança e obediência na direção espiritual. "O melhor, e podemos dizer que o único remédio é a obediência plena e absoluta a uma cabeça sábia, à luz da nossa consciência de tendo escurecido, quer mergulhar em uma outra luz, é escrupuloso um navio sem bússola ou leme, e deve ter o trailer que outra " . (Ad. Tanquerey, Compêndio de Teologia ascética e mística Espírito Publishing, Madrid, 1990, n. 944, P.502). Embora a pesquisa escrupuloso pela apoio na direção espiritual, difícil de alcançar a sua confiança, e acima de tudo, o acompanhamento das diretrizes estabelecidas.
 Por está razão, o conselheiro espiritual irá combinar a força e a exigência de exercer a sua autoridade moral. Sempre fale categoricamente e nunca discuta com escrupuloso. Ao mesmo tempo, é preciso ter paciência para ouvir, sem permitir também prolongar a manifestação das questões e preocupações que você deseja manifestar.
 2) Nunca entrar no jogo confissões repetidas. O escrupuloso quer confessar a mesma coisa mil vezes; "só quero ter uma confissão padre". E em direção espiritual vai perguntar: "Ei, não seria bom para voltar a confessar isso, eu não tenho a segurança de ter dito claramente"; em seguida, independentemente de seu conselho, vai tentar novamente o tema de novo e de novo. Não deve ser dado a este jogo. Sugerir docilidade ao vivo e confiança em Deus e, com prudência e grande firmeza, ponto não vai tocar nesse ponto. Para não dirigiu sentir desanimado ou considerar a origem de seus escrúpulos como uma deformação da consciência, ou como uma deficiência psicológica, você deve indicar a forma como os escrúpulos pode se tornar um presente, um teste através do qual Deus permissão para passar para a purificação e santificação. Algumas almas passam de um extremo ao outro. Eles tinham uma vida muito superficial e pecadora; então, para ter alguma experiência forte na vida espiritual, tornam-se a ir para as exigências extremas de si mesmos. Assim, parece pecar do nada. Nós devemos moderar esse tipo de comportamento, mantendo tudo positivo em que a conversão radical e tentando resolver logo, para alcançar o equilíbrio e persistência. A espiritualidade muito equilibrado é direito. O esforço é para trazer conselheiro espiritual voltada para os padrões comuns gerais; ele vai gradualmente, passo a passo, tendo em conta a situação de cada pessoa.
3) Tente limitar mais cuidadosamente manifestações de escrúpulos. O conselheiro deve tentar reduzir as manifestações de escrúpulos, para não permitir que este estado de ansiedade, dúvida, derrame e inundar todo o estado de espírito da pessoa. Nós ajudamos as pessoas a analisar as idéias expressas por ele. Em que medida a verdade ou não? Esta reflexão sobre idéias cria um estado de espírito sereno. Muitas vezes, a ansiedade é facilmente curadas se as suas causas são compreendidos. Não deve ser confundido com escrúpulos luz estados de medo ou dúvida. Quando você tem um pensamento que mostra a preocupação de seus pecados, ou por um ato que fez no passado e não pode sair de sua mente, você pode dizer: "Você se arrependeu e confessou-se, tudo o que já perdoou você, e nem Deus se lembra, e você ainda com que isso. É uma tentação do diabo? É. Eu só quero colocá-lo em um estado de angústia. Ai, mais uma vez traz à mente a infração cometida, você se ocupa na dúvida em vez de progredir em sua vida espiritual.
 4) Insistir em duas motivações fundamentais: uma vez acesa objetivamente conscientização dirigida, você deve insistir em duas razões fundamentais: confiança em Deus , porque Ele é sempre fiel e misericordioso, e despertar e canalizar o desejo de servir a Deus com toda a nossa força, sem olhar para si mesmo, mas a Deus. Essa pureza de intenções libertado mesmo escrúpulos.

1 de fev de 2015

Vamos entender o uso do véu?

Tem muitas moças que usam por conta de um exibicionismo muito perigoso, falta a virtude. Sim, o uso do véu "cabe" dentro da modéstia da seguinte forma: torna-nos mais dignas de estarmos na presença de Deus, toda e qualquer intenção fora dessa primeira que eu escrevi, pode ser um perigo. É preciso prudência! Por isso, se você usa o véu e nem mesmo sabe o porquê, aqui vai um textinho que eu simplesmente amo.

POR QUE USAR O VÉU?
Em antigas tradições de milhares de anos atrás, o “véu” representava pureza e modéstia em várias religiões e culturas. Um véu é tanto um símbolo como um místico sacrifício que convida a mulher a subir a escada da santidade.
Quando uma mulher cobre sua cabeça na Igreja Católica, simboliza sua dignidade e humildade diante de Deus, não dos homens. Não é surpresa as mulheres de hoje terem tão facilmente abandonado a tradição do véu quando os dois maiores significados do véu são pureza e humildade.
A mulher que cobre sua cabeça na presença do Senhor Jesus no Santíssimo Sacramento está lembrando para si mesma que diante de Deus se deve ser humilde. Assim como com todos os outros gestos exteriores, se é praticado adequadamente, penetra no coração e é traduzido em ações bem significativas. O “véu” cobre o que o Senhor, na Sagrada Escritura, chama de “a glória da mulher”, o seu cabelo. Cobrir seus cabelos é um gesto que a mulher faz espiritualmente para “mostrar” a Deus que reconhece que sua beleza é menor que a dele e que a glória dele está muito acima da sua.
Fazendo isto a mulher é relembrada que as virtudes não podem crescer numa alma sem uma grande medida de humildade. Assim ela usa o véu para agradar a Deus e recordar a si mesma de praticar a virtude com mais ardor.
Não há outra peça de roupa que a mulher deva vestir para servir com esta função. O véu simbolicamente motiva a mulher a “inclinar” a cabeça em oração, a abaixar o olhar diante da grande e misteriosa beleza e poder de Deus no Santíssimo Sacramento. Pela inclinação da cabeça e pelo abaixar dos olhos, ela está mais apta a adorar a Deus na capela interior do seu coração, sua alma.
O véu que a mulher usa lhe confere um belo senso de dignidade. Quando ela o usa, ela se identifica com a maior criação de Deus, a Bem-aventurada e Imaculada Virgem Maria, Mãe de Deus. Não houve na terra quem mais amasse e ama o Senhor que a Bem-aventurada Virgem Maria. Em seu amor, sua humildade exalada como doce incenso perfumado diante de Deus. O véu que ela usou simbolizava sua pureza, modéstia e obviamente sua profunda humildade e submissão a Deus Todo-poderoso.
As mulheres que amam Jesus devem perceber que a imitação de sua Mãe pelo uso do véu e por outras virtudes é um pequeno sacrifício a ser feito a fim de crescer na compreensão espiritual da pureza, da humildade e do amor.
A coberta de cabeça da mulher na Igreja é um surpreendente lembrete de modéstia, algo antigo, mas perdido na sociedade de hoje. Modéstia e pureza caminham de mãos dadas.
Quando uma mulher cobre a cabeça ela está protegendo o coração para que possa ser cortejado pelo amor de Deus no Santíssimo Sacramento. Este é um místico ‘país’ onde somente o Eterno Pai pode entrar. Seu véu é como as lâmpadas acesas das virgens à espera do Esposo, uma indicação de que ela está preparada para recebê-lo a qualquer momento, uma auréola de seu amor espiritual pelo Esposo. Usar o véu é um ato de amor a Deus.
Por que uma mulher usaria um véu na igreja? Não para ser louvada, nem por causa da tradição, nem para “aparecer” na multidão, nem porque você diz ou eu digo ou qualquer um diz... Mas porque ela ama nosso Senhor Jesus Eucarístico e porque é este mais um pequeno sacrifício que ela deve oferecer pela sua alma e por muitas almas que não têm ninguém que por elas se sacrifique. Amém.
(Velatam ad Dei Gloriam)

"Deus não pode inspirar desejos irrealizáveis!"

Boa noite, amigos! Dei inicio às primeiras postagens. Estou muito feliz, confesso que fiquei com receio no começo, pois não é fácil administrar uma página e um blog; sobretudo, sozinha. Mas Deus deu a graça e eu acredito que dará muitos frutos!
Sejam bem-vindos a esse pequeno espaço onde derramarei minha alma e tudo o que eu tenho aprendido em toda minha vida como uma moça católica.

"Deus não pode inspirar desejos irrealizáveis."
Santa Teresinha do Menino Jesus (de Lisieux).

Salve Maria Santíssima!


Nossa Senhora do Sorriso e Santa Teresinha

Esses dias eu estava muito triste, é verdade. Às vezes as doenças físicas nos cansam a tal ponto de nos abatermos espiritualmente.
E em uma Igreja pertinho de casa, encontrei a linda Senhora que sorriu para mim, e toda a minha força foi logo recuperada!
Deixo abaixo, um lindo trecho da história de Nossa Senhora da Vitória com Santa Terezinha do menino Jesus.
O Sorriso dessa bela mãe tem o poder de amolecer os mais duros corações, e curar as mais profundas cicatrizes!

"Nossa Senhora do Sorriso foi o nome dado por Santa Terezinha do Menino Jesus a Nossa Senhora das Vitórias, quando ela (santa Terezinha) foi curada de uma grave enfermidade pelo sorriso que Nossa Senhora lhe deu. Santa Terezinha disse: “Não eram meus desejos que poderiam produzir um milagre, e para minha cura se fazia mister um milagre. Foi Nossa Senhora das Vitórias que o fez.”
História de Nossa Senhora do Sorriso

Quando era pequena, Santa Terezinha perdeu sua mãe. Sua irmã mais velha, Paulina, passou a cuidar dela e da família. Passado algum tempo, Paulina entrou para o Carmelo. Terezinha, já muito triste com a morte da mãe, fica doente com a separação de sua irmã. Uma depressão muito forte se abateu sobre ela e nenhum médico consegue descobrir qual a sua doença. Ela ficou de cama, sofrendo muito, com apenas 14 anos de idade.
O Milagre de Nossa Senhora do Sorriso

Paulina, sabendo da doença, intensificou as orações a Nossa Senhora, junto com as irmãs do Carmelo. O pai de Terezinha, muito devoto de Nossa Senhora das Vitórias, mandou rezar uma novena de missas em sua intenção e colocou ao lado de sua cama a imagem de Nossa Senhora das Vitórias. E todos da família começaram a rezar para a menina doente."

COMPLETO: http://www.cruzterrasanta.com.br/historia/nossa-senhora-do-sorriso

Hello, World!

Olá, amigos!
Eu já tenho uma página no facebook e agora o blog, se trata de um "diário" e aqui falaremos de nossas aventuras quotidianas com o divino amor de Jesus, com o amor maternal de Maria; nossas quedas e vitórias!
É possível ser santa no quotidiano? Santa Rita e outros Santos nos mostram que sim!

"Deus não pode inspirar desejos irrealizáveis."
Santa Teresinha do Menino Jesus (de Lisieux).

Salve Maria Santíssima.