29 de ago de 2015

Minha expêriencia em um culto protestante

Bom, amigos, não escrevo esse post com orgulho, nem para "atacar" meus irmãos protestantes, ou algo do tipo, mas para alertar aos meus irmãos de fé, os católicos, de algo que pude vivenciar essa semana.
Nascida e crescida num lar católico, nunca tinha ido em nenhum culto protestante, até essa última semana. Eu fui vencida pela insistência de uma amiga(nós estudamos em uma universidade Presbiteriana!), desde que entrei no culto - era meio que automático - eu virara o rosto com frequência para procurar o Sacrário e alguma "coisa" que me lembrasse a Virgem Santíssima.
Mas, de certa forma, não me sentia totalmente desfamiliariazada, isso se deu por um único motivo: os grupos de orações da Renovação Carismática que já tinha frequentado (RCC). E, não, não estou "atacando" a Renovação Carismática, mas que há uma semelhança enorme, meus irmãos, isso há. E eu estaria sendo hipócrita caso negasse.
Muitas vezes, se eu fechasse meus olhos, poderia me imaginar em um deles. Mas, logo que os abrisse, voltaria a procurar o Sacrário. Então, eu faço uma pequena exortação para meus irmãos da Renovação: o louvor é bom, a pregação, também, mas não nos esqueçamos da base, como li no facebook esses dias: grupo de oração sem o terço e Nossa Senhora, é culto protestante! E é isso mesmo. A base é Cristo Eucarístico, é a Mãe de Deus, são os Anjos e os Santos. Jesus permanece no Sacrário para amarmos, e sem Ele [Jesus], é apenas uma sala vazia com instrumentos e pessoas. Jesus Eucarístico é o Sol de nossas vidas. 
Quanto a mim, já confessada e arrependida, prometi nunca mais ir em um culto, porque sou católica e sigo minha doutrina. Não aconselho católicos irem, nem mesmo por insistência de amigos.

Rezo por todos os meus irmãos em Cristo, peço que rezem por mim!
Deus nos abençoe e nos guie para o céu. Que a Virgem Maria seja nossa esperança.

Imagem de São Padre Pio celebrando a Santa Missa.

18 de ago de 2015

Mulheres, dois livros que vocês precisam ler para ontem!

O Amor que dá Vida, Kimberly Hahn.

É um livro que fala sobre a família, filhos, contracepção, planejamento familiar, infertilidade, aborto, etc. Em linhas gerais, Kimberly nos responde, com base na Doutrina Católica e na Santa Tradição, como devemos agir diante desses temas. Abrindo-nos os olhos para a importância de termos uma família numerosa, perfeitamente desejada por Deus, pois, como vocês sabem, a vontade de Nosso Senhor é "sedes fecundos". Explica-nos o plano maravilhoso de Deus para o matrimônio e que a solução para enfrentar todos os obstáculos é a confiança filial em Deus.



SOBRE A AUTORA: 

Kimberly Kirk  Hahn nasceu em 1957, nos Estados Unidos, no seio de uma família tradicionalmente presbiteriana. Formou-se em comunicação social em 1979 e no mesmo ano casou-se com Scott Hahn, à época pastor de uma Igreja Presbiteriana e professor em um seminário protestante. Três anos mais tarde, concluiu o seu mestrado em Teologia.
Durante suas pesquisas de pós-graduação, Kimberly descobriu que a Igreja Católica era a única confissão cristã a condenar a contracepção, atitude que as confissões protestantes abandonaram na década de 1930. Foi essa doutrina aberta à vida que iniciou o processo de conversão de Kimberly, que culminaria com o seu batismo em 1990, quatro anos depois do marido.
Mãe de seis filhos -- todos educados por ela mesma --. a autora hoje dedica-se a ministrar palestras e escrever livros sobre diversos temas de doutrina, espiritualidade e família.

ALGUNS TRECHOS DO LIVRO:

"Um filho não é um intruso na idílica relação de um casal. Pelo contrário, é a expressão de amor que une esse casal." (pag. 56)

"O marido é chamado a uma tarefa enorme: dar a vida pela esposa, imitando o sacrifício de Cristo pela Igreja, sua esposa. Todos somos chamados a amar como Jesus amou: foi o que Ele disse (Jo 13:34). Mas unicamente o marido é imagem de Jesus como esposo. E como Jesus amou? Com sacrifício." (pag. 89)



O Privilégio de Ser Mulher, Alice von Hildebrand.


Este livro é excepcional! Eu, particularmente, releio-o sempre que posso.
Alice rebate os argumentos do movimento feminista acerca da acusação de que a Igreja Católica e a sociedade, de certa forma, colocam a mulher em uma posição de inferioridade com relação aos homens. Mostra-nos que, na verdade, o sexo frágil é o sexo privilegiado. Desmascara Simone de Beauvoir e toda as suas seguidoras. Fala-nos da missão sobrenatural das mulheres, mulheres e sentimentos, maternidade, o mistério do corpo feminino, Maria e o sexo feminino.



SOBRE A AUTORA:

Alice von Hildebran, nascida na Bélgica em 1923, mudou-se para os EUA em 1940. Iniciou seus estudos de filosofia em Fordham University, em Nova Iorque, onde recebeu o grau de doutora. Durante 37 anos se dedicou Filosofia em Hunter College e também em Nova Iorque.

ALGUNS TRECHOS DO LIVRO:

"O mundo em que agora vivemos é um mundo cuja perspectiva está tão distorcida que nós absolutizamos o que é relativo (dinheiro, poder, sucesso) e relativizamos o que é absoluto (verdade, moral, valores, Deus). Poder, riquezas, fama, sucesso e dominação são idolatrados; humildade, castidade, modéstia, sacrifício e serviço são vistos como sinais de fraqueza." (pag. 35)

"O grande aliado da mulher não é o socialismo, como cria Simone de Beauvoir, mas Cristo. A ideologia moderna declara guerra ao Evangelho que prega humildade e ensina que quem se humilha será exaltado." (pag. 23)

"Chesterton escreve: 'Ninguém que contemple o valioso privilégio da mulher conseguirá acreditar na igualdade dos sexos'. Durante a gestação, a futura mãe carrega, na verdade, duas almas em si: a sua própria e a do bebê. Chesterton devia ter algo similar em mente quando escreveu 'nada jamais conseguirá superar essa tremenda superioridade do sexo que faz com que até o bebê do sexo masculino nasça mais perto da mãe que do pai." (pag. 102)


Vocês poderão encontrar os dois livros no site da Editora Ecclesiae:


17 de ago de 2015

DIGA NÃO AO ABORTO!

1) "Meu corpo, minhas regras."

R: Seu corpo, suas regras só ATÉ o dia que outro ser humano estiver dentro dele.

2) "Um embrião, um pedaço de feijão, não é uma vida humana."

R: Não. Não é isso que nos diz a ciência: "No princípio do ser há uma mensagem, essa mensagem contém a vida e essa mensagem é a vida. E se essa mensagem é uma mensagem humana, essa vida é uma vida humana. As leis biológicas, após estabelecidas, entram imediatamente em vigor e definem a vida... O mesmo se passa quando o ser humano é concebido, isto é, quando a incorporação veiculada pelo espermatozoide vai se encontrar com a que está no óvulo: uma nova constituição humana se manifesta imediatamente e um novo ser dá início à sua existência." (Jérôme Lejeune, professor de Genética da Universidade de Paris, descobridor da causa da Síndrome de Down)..


3) "Não tenho condições financeiras, sociais ou psicológicas para ter um filho."

R: Dificuldades na vida não nos dá o direito de matar outro ser humano: "Se hoje damos o direito à mãe de matar legalmente seu filho não nascido, porque é um ESTORVO para ela, amanhã, logicamente, devemos dar ao filho o direito, também legal, de matar sua mãe que se tornou um peso para ele. Tudo isso é um grande absurdo." (professor Felipe Aquino)


4) "O aborto é uma questão de Saúde Pública. O aborto vai continuar acontecendo, sendo legal ou não. Devemos fornecer um aborto seguro para as mulheres."

R: O aborto se constitui um crime, seja ele seguro ou não. Então vamos dar o direito da mulher matar seu filho com segurança? E pelo que sabemos, os médicos fazem juramento para salvar vidas, não para tirá-las. 

5) "Quase um milhão de abortos acontecem por ano no Brasil. Se legalizassem o número de abortos diminuiria."

R: Mentira. Os países que legalizaram o aborto, o número não diminuiu, pelo contrário, aumentou drasticamente. No Brasil, acontecem, em média, apenas 100 mil abortos (infelizmente). Dados mais detalhados aqui: https://www.youtube.com/watch?list=PLnIrFo_VmlQ5cpbGuwjU-dmv105Cgj5Te&t=1032&v=hwKrxqpnSgs

Há mais de 30 projetos de lei para a legalização do aborto no Brasil, dentre eles há um para a legalização ser até 12 semanas de gravidez.
Com apenas OITO SEMANAS, um bebê segura qualquer objeto que for posto em sua mão. Se for feito um eletrocardiograma, com instrumentos de precisão, até as batidas do seu coração serão ouvidas. 
Que mundo moderno triste! O útero, antes o lugar mais seguro do mundo, hoje tornou-se uma zona de fogo livre. 

Diga NÃO ao ABORTO! 

Quem deseja entender mais sobre o assunto, aqui estão alguns links de páginas Pró-vida:
https://www.facebook.com/biopolitica?fref=ts
https://www.facebook.com/vifambrasil?fref=ts

3 de ago de 2015

Doze atitudes para vigiar, orar e não irritar o cônjuge!

Bom, moças, eu resolvi escrever esse texto para ajudar no convívio com seu companheiro. São doze atitudes que algumas mulheres costumam ter e que irritam qualquer rapaz profundamente. No fundo, é só uma forma para controlá-los, o que não é o nosso papel dentro de uma relação, não é mesmo? Aprendi com Shakespeare que obtemos mais facilmente o que desejamos com um sorriso do que à ponta da espada. Em provérbios diz o seguinte: "Uma mulher virtuosa é a coroa de seu marido, mas a insolente é como a cárie nos seus ossos"12,4. Meditando nesse pequeno trecho, fica fácil entender porque os doze itens ferem a relação entre homem e mulher, cada um com seus respectivos papeis.

1) Não levantar o dedo: em uma discussão é muito comum acontecer essa sútil atitude; ela - de alguma forma - demonstra autoridade, mas, ao mesmo tempo, desrespeito. Sobretudo, se for uma mulher a fazê-lo com seu noivo ou marido, imaginem a cena! Eu sei..., no momento do nervosismo é difícil. Mas precisamos ser pacificadoras em momentos assim.

2) Não prolongue as discussões, afim de querer vencê-las pela persistência: já é muito triste um casal se ver em meio a uma briga. Por orgulho, muitas de nós não só ficamos "torrando" a paciência deles (já que DR não costuma ser a praia dos homens!) para que eles acabem admitindo que estamos certas e, ainda por cima, fazemos bico, ficamos resmungando, remoendo e os castigando com "cara feia". Isso só fará com que vocês se mantenham longe. No final, corre o risco de afastar quem você ama, isso é vencer?

3)Não o ridicularize na frente dos amigos ou familiares: aprendi desde muito cedo que existe algo muito sensível: orgulho masculino. Alguns rapazes se sentem ofendidos quando fazem um ato de cavalheirismo e a dama o recusa. Agora, imagine a dama gritando alto ou dando ordens ao rapaz na frente de seus amigos ou familiares!, isso definitivamente deve ferir o orgulho masculino de qualquer homem. Além do mais, nos tira de nosso papel de submissas.


OBS.: é sempre bom lembrar que em casos assim os amigos podem fazer chacotas com o rapaz ou os familiares tomarem antipatia pela namorada.

4)Não grite pelo celular: eu já estive em uma situação assim, em que um homem estava ao meu lado no ônibus, e uma mulher telefonou para ele dizendo assim: "- Onde você está? Ainda?! Nossa, mas demorou tuuudo isso?" em um tom bem alto. Foi bem constrangedor e desnecessário, não é? Às vezes ficamos com abobrinhas na cabeça, mas precisamos fazer um "cozido" delas.

5) Não o faça adivinhar qual o problema: o bonito em uma relação em que são três: Deus, homem e mulher é que não se faz necessário esse tipo de joguinho. Além de desgastante, na maioria esmagadora das vezes, ele não vai adivinhar o que te deixou chateada. Homens são práticos,então, abra o jogo!

6) Não fique comparando-o com os companheiros de suas amigas: nós mulheres, melhor do que ninguém, sabemos como é desagradável quando fazem conosco comparações relacionadas à outras mulheres.É Importante colocarmo-nos no lugar do outro, compreender suas limitações e incentivar sempre!

7)Não exija provas de amor a cada instante: acredito que esse seja um problema mais de insegurança do que a descrença no amor de seu companheiro. Primeiro, porque é preciso confiar que ele está com você porquê te ama e te escolheu para ter uma família; segundo, na medida das "forças" dele, ele irá demonstrar esse amor; terceiro, chegará um momento em que ele não saberá mais como te agradar para você se sentir convencida de que é amada, porque isso não dependerá de quantas provas de amor ele te dará, mas do quanto você é capaz de ser uma mulher segura e dona de seus medos.

8) "Eu te avisei, não foi?": frase que tortura qualquer homem (Rs!), como o homem é a "cabeça" da mulher, as decisões mais importantes são tomadas por ele, o que em nada impede a nossa opinião à respeito. Propensos a cometer erros, eles podem vir a falhar nas decisões e esse é o momento do apoio - ele saberá, mesmo que você não diga essa frase, que você estava certa -, mas ficará reconfortável pelo seu amor, doçura carinho. Na próxima decisão, ele a escutará. Isso não vale mais do que um "eu te avisei"?

9) Não o faça escolher entre algo que ele goste e você: esse "pedido" costuma ser, na verdade, um capricho. Claro, depende muito da situação, mas na maioria das vezes. Respeitar as escolhas dele é importante para saber se ele se importa com você ou o quanto de prioridade você tem na vida dele. Mas não é através de imposição que isso acontecerá, nada forçado dá resultados. Seja maleável.

10) Evite ligar muitas vezes por dia: um namoro onde um sufoca o outro não tem muito o que crescer. Muitas vezes isso é o reflexo de um apego que faz muito mal não só para o namoro, mas para a alma. Quando os Santos se referem a paixões terrenas, é tudo que o coração se apega sem liberdade! Amar o outro é respeitar o seu tempo, seu espaço e sua vida.

11) Não despreze um gosto dele que seja incomum ao seu: eu sei que os rapazes gostam de coisas que nós não gostamos e, às vezes, eles querem compartilhar isso conosco, mesmo que não entendamos bulhufas de nada. Como assuntos sobre informática, futebol, etc, nesses momentos, com toda docilidade, preste a atenção no que ele diz, e faça "boa cara". Não despreze algo que ele gosta só porque você não gosta, faça isso para tão e somente o agradar.

12) Não demore horas para se arrumar: eu sei, toquei na ferida, mas é preciso! A gente leva muitíssimo mais tempo para se arrumar que os homens, é verdade. Mas não é verdade que a mulher tem de a se atrasar sempre. Além de ser desrespeitoso com seu cônjuge, pode estragar o passeio por deixá-lo chateado e chegar tarde em um compromisso. Acredito que podemos nos arrumar, sim, em duas horinhas. Duas horinhas antes do combinado! ;)