1 de dez de 2015

Um alerta precisa ser dado: Família Numerosa - por Camila Hochmüller Abadie


Um alerta precisa ser dado: optar por constituir uma família numerosa não é o mesmo que optar por morar numa casa em lugar de morar num prédio, ou por decidir cursar história em lugar de filosofia na faculdade. 
E não o é pelo simples motivo de que a formação de uma família envolve o nascimento de pessoas que mudarão a sua vida de uma maneira irremediável e para sempre. Desejar ser a esposa de um só marido e a mãe de muitos filhos não é algo pelo qual se decide porque "é lindo", "é de Deus", "meu namorado sonha com isso", etc. Estamos falando de algo definitivo, afinal! E mais: de algo que, além de contar com toda a oposição do mundo e de todo o mundo, ainda dá muito, muito trabalho. "Mas, Camila, filhos não são bênçãos de Deus e não devemos estar abertos a elas?" Sim, é claro. Mas você sabe por que Deus nos abençoa? Para nos atrair para mais perto Dele. 
E você sabe como é que chegamos mais perto de Deus? Pela cruz. E você sabe para que serve a cruz? Para matar. É, para matar. Matar em nós tudo aquilo que nos afasta de Dele: nosso egoísmo, nossa preguiça, nosso orgulho, nossa prepotência, nossa covardia, nossa indiferença, nossa autocomiseração... Filhos são bênçãos dadas por Deus para que nos tornemos mais semelhemantes a Ele. 
Em outras palavras: não entre nisso, não assuma o propósito de ter uma família numerosa por motivos secundários, por ter mudado de turma e ter se convertido, porque o pessoal da paróquia acha legal, por achar bonito -- eu acho bonito o Rio de Janeiro, mas jamais moraria lá, por exemplo --. Não. Só entre nesse barco se estiver convicta de que é isso o que Deus quer para você, pois aí quaisquer oposições exteriores virarão piada, virarão nada. 
Enfim, avalie o quão disposta você está a morrer para si mesma para que o amor se multiplique, como o grão de trigo que cai na terra e morre para assim poder germiná-la. Se você não estiver disposta a morrer, não está disposta a amar. Não é bonito, não é fácil e não é agradável, não é o que os filmes mostram, não é o que as pessoas falam, mas é assim que as coisas de verdade, na realidade, são, basta olhar para a cruz. Mas já antecipo um outro alerta: só quem experimenta a cruz consegue experimentar a salvação; só quem perde encontra; só quem morre ressuscita.