14 de fev de 2016

Como ajudar minha amiga a viver a modéstia?



Eu estava há um tempo pensando em escrever sobre esse assunto. Isso porque, de certa forma, eu venho analisando a forma das mulheres católicas não-praticantes se vestem ou – até mesmo – aquelas amigas de quem gostamos muito. É inegável que com a chegada das redes sociais, a forma de evangelização melhorou e se ampliou muito. Podemos ver isso, por exemplo, em relação às moças que vivem a modéstia (cresceu consideravelmente), dado o tempo em que vivemos, em que tudo é careta, brega, sonso, cafona ou “crentice”.

Os apostolados de modéstia têm feito essa evangelização de forma extraordinária (é claro que existem aqueles que são farisaicos!, ou puritanos ao extremo), muitas católicas se “convenceram” que amar e viver para Deus precisa ser um todo, que as virtudes complementam uma às outras.

“Observando a modéstia, edificamos sumamente os outros e os estimulamos à prática da virtude.” Santo Afonso de Ligório


Vejam que, no estudo das virtudes, a virtude da modéstia está subordinada à virtude da Temperança, que é uma Virtude Humana. As Virtudes Humanas são aquelas que têm origem no próprio homem, e se desenvolvem com esforço e exercício contínuo (ao contrário das Teologais, que têm origem somente em Deus) e por sua vez, são fundamentadas e aperfeiçoadas pelas Virtudes Teologais, ou seja, Sem a Graça Divina, não subsistem. Dentro da temperança, podemos observar a modéstia e o pudor, virtudes que não se separam. Uma precisa da outra para complementarem-se, como eu dizia acima, e – por essa razão –, só um coração que busca uma verdadeira conversão pode estar atento ao Espírito Santo, já que não há regrinhas para se viver a modéstia em relação às vestimentas (e nos demais casos, mas nos foquemos nas vestimentas!).

Logo, a Virtude da Modéstia se aplica a pessoas, e não a coisas. Não existem “roupas modestas”, o que existe são pessoas modestas, porque exercitam a virtude da temperança, da qual deriva a modéstia e o pudor.

Uma vez que entendido isso, podemos, então, ajudar as pessoas ao nosso redor, sem cair na bobeira de espantá-las ou de justificar tal ato só sob o olhar religioso, já que as pessoas tendem a correr, quando apresentamos o porquê de se vestir de tal maneira, o bem que faz e os benefícios. O que fazer? Bom, para nossas amigas que não são católicas e não dariam a mínima para o assunto, devemos ter em mente essas cinco coisas:

1. Durante um bom tempo elas acreditaram que ao se vestirem assim estariam se tornando “mulheres”, deixando a infância e estando prontas para as paqueras;

"Elas [mulheres] perderam o próprio conceito de perigo: elas perderam o instinto de modéstia" Papa Pio XII



2. Que os rapazes prestariam atenção nelas, iriam notá-las muito mais que antes;

“(...) o tipo de rapaz que você deseja encontrar não é o tipo de rapaz que fica olhando para meninas com blusinhas muito curtas ou jeans apertado de cintura baixa. É preferível que você encontre um rapaz que acha você linda com uma roupa mais modesta. Agora, vestir com modéstia não significa se vestir de modo desajeitado ou sem ser atraente. Significa apenas que você prefere chamar a atenção dele para o que interessa mais: sua dignidade. Portanto, vista algo que revela mais de você: vista-se com modéstia.” Jason Evert



3. Puro ego, competir com a colega de quem é mais linda não é o único motivo para as mulheres se vestirem tão mal, mas ser desejada, olhada, admirada é algo que está na natureza mulher, e quanto mais homens as desejam, mais elas querem ser desejadas;

“Quando você sai procurando por caras que olhem assim para você [desejando o corpo], é como se você quisesse ser alimentada com algo. Mas é como querer ser alimentada com balas. Sabe... parece bom, mas não alimenta. Colocamos na boca e desaparece.
[...] Com a modéstia, o mistério, a castidade, há algo secreto nela. E como homem, isso é cativante. E para uma mulher, acho que dá um grande senso de reverência para consigo mesma". Jason Evert



4. Acreditam que estão “livres” quando se vestem de uma forma tão escandalosa, tudo por que acham que devem mostrar o que “há de melhor em si”;

"Não ande por ai mandando mensagens de que seu corpo é a melhor parte de você - implicando que seu coração, seus pensamentos e sua alma não sejam importantes. Ao invés disso, desperte com a sua modéstia, o desejo de conhecerem-na melhor." Crystalina Evert


5. E, por fim, para aumentar-lhes a autoestima. E isso está diretamente ligado à quantidade de olhares ou assovios que recebem. Pois em algum determinado momento da vida, as mulheres sentem-se inseguras, sobretudo, pensando no futuro.

"Ela está vestida com força e dignidade; e ela ri sem medo do futuro". Pv. 31, 25

Tendo em mente esses cinco motivos (e há tantos outros!), me propus que, durante uma semana, eu iria ajudar uma amiga a se vestir melhor. Cada dia, uma dica ou uma conversa, mas tudo de forma que ela possa entender. Mas isso exigirá muito mais de mim do que dela, de fato, porque é o Espírito Santo quem guia, mas posso ajudar rezando e oferecendo pequenos sacríficos durante a quaresma. Ser luz e sal da Terra é poder se misturar em meio aos outros e levar até eles o que me fez ressuscitar para ser uma mulher nova. Não há nada que o feminismo possa oferecer perto do que a santidade fez/faz por nós, mulheres cristãs, porque a fonte desse Amor – que é Cristo – nos “cristaliza” de modo que tudo em nós se faz novo “Aquele que estava sentado no trono disse: 'Eu faço novas todas as coisas'!” Ap 21,5 .
Gostaram da ideia? Estão curiosas para saberem mais? Postarei as dicas no facebook, durante os sete dias, e, depois, colocarei em um único post no blog. Fiquem comigo até o próximo post, e me digam quantas estão verdadeiramente empenhadas com esse propósito: Como ajudar minha amiga a viver a modéstia?

Salve Maria e Até logo!